• Bem Vindo!

    Inaugurada a 25 de julho de 2014 em Tomar, a Cafetaria do Castelo encontra-se localizada no Terreiro Dom Gualdim Pais, junto ao Convento de Cristo. As instalações foram construídas quando foi reabilitado o espaço envolvente ao Convento e constituem agora uma concessão à Câmara Municipal.

     

    • Siga-nos no facebook

    O que temos para si...

    Dispomos de estacionamento privativo e de uma esplanada com uma vista privilegiada sobre a cidade.Pretendemos dar apoio aos muitos portugueses e estrangeiros que visitam o Convento de Cristo e a cidade, sendo um ponto de informação e de divulgação de Tomar. Para tal, estamos em parceria com a Loja do Mundo Conventual da Adirn e com os Caminhos da História.

    Na cafetaria há um espaço de venda de produtos regionais através da ADIRN e outro de informação turística e divulgação da atividade da ‘Caminhos da História’.
    A cafetaria vai funcionar todos os dias entre as 9 e as 24 horas.

    Temos não só os produtos expectáveis numa cafetaria, como saladas, salgados, bolos e bebidas, mas também os produtos tradicionais da região. Disponíveis aos visitantes da Cafetaria estão os vinhos das adegas do concelho, os doces e licores conventuais e ainda o artesanato ligado à cidade e aos templários. Tudo para que o passeio pela cidade e por um dos mais belos monumentos portugueses e do mundo se torne numa experiência única.

  • O Castelo Medieval

    Iniciada a sua construção a 1 de março de 1160 por D. Gualdim Pais, Mestre da Ordem do Templo, ali se instalou a Ordem do Templo até 1314 e a Ordem de Cristo a partir de 1357. Faz parte do castelo a Torre de Menagem e a Charola, oratório românico fortificado do século XII. O Castelo possui ainda três compartimentos muralhados.

     

    • Siga-nos no facebook

    Curiosidades...

    No interior situavam-se a norte, a área habitacional dos cavaleiros templários e a sul, a praça de armas ou terreiro interior e a área outrora ocupada pelos moradores da vila fortificada. O complexo militar dispunha de uma entrada a sul direta para a vila, a porta de Al Medina, com dois torreões. Uma via pavimentada levava à praça de armas e à casa militar templária. A inovação são os “alambores” que reforçam a defesa da muralha. Entre a alcáçova e a charola, no espaço onde foram os Paços do Infante, no século XV, há indícios de ocupação muçulmana. Os pontos de interesse no Convento são o Portal Principal, a Charola, a Janela do Capítulo e o Claustro de D. João III. A excelência arquitetónica traduz a consolidação de Portugal e a sua expansão pelo Mundo ao serviço de Cristo. O conjunto Castelo Templário e Convento de Cristo foi classificado como Património Mundial da UNESCO em 1983. A sua área é de 54.000 m2, pelo que teria sido uma cidade de média dimensão na época medieval. Trata-se do monumento português de maior área e um dos maiores do mundo. A Cidade de Tomar foi conquistada aos Mouros pelo rei D. Afonso Henriques em 1147 e doada à Ordem dos Templários em 1159. Foi assim a sede da Ordem do Templo e mais tarde da de Cristo.

    A cidade de Tomar foi fundada por D. Gualdim Pais em 1160, que lhe concedeu o Foral feudal em 1162. Habitada há mais de 30 mil anos devido ao clima e abundância de água, tomou o nome de “Sellium” na sequência da ocupação romana. No início do século VII surgiram os primeiros conventos e com eles, a lenda de Santa Iria, mártir e padroeira da cidade. Com a ocupação árabe, em 712, a cidade passou a chamar-se “Tamaramá”, palavra na origem do nome atual e que significava “doces águas”. Thomar surge com a construção do Castelo, em 1160, por D. Gualdim Pais, Mestre da Ordem dos Templários. Com o Administrador da Ordem de Cristo, o Infante D. Henrique, no séc. XIV, a Vila desenvolveu-se e assumiu a organização octogonal que a caracteriza. Em 1510, O rei D. Manuel concedeu Foral Novo, estabelecendo e estruturando o poder administrativo local. Paralelamente, os seus arquitetos João de Castilho, Diogo de Arruda, Diogo de Torralva, entre outros, distinguiram-se pela excelência. Durante o domínio Filipino, os reis espanhóis realizaram obras no Claustro Principal do Convento, contrataram o italiano Filipe de Terzi para a construção do Aqueduto do Convento e criaram ainda a festa de Santa Iria. No período entre os séculos XVII e XIX ocorreu um forte desenvolvimento industrial, nomeadamente relativamente ao na área dos vidros, fiação e ao aparecimento de fábricas de papel. Tomar foi elevada à categoria de Cidade em 1844, no reinado de D. Maria II. O Cinema surgiu em 1901, seis anos após a sua invenção, e ainda hoje se encontra instalado no edifício Cine-Teatro Paraíso. Com Manuel Mendes Godinho, Tomar teve um crescimento notável, no início do século XX, sob a indústria de moagem, cerâmica e extração de óleos e placas de aglomerado de madeira. O desenvolvimento permitiu a criação de uma Casa Bancária e a distribuição de energia a partir dos Moinhos da Vila, sua propriedade. Em 1950, João dos Santos Simões fez renascer a festa dos Tabuleiros, através de uma projeção nacional e internacional. Desde então, a cidade tem vivido um dinamismo cultural notável, com especial ênfase para as festas e feiras realizadas ao longo do ano. O conjunto Castelo Templário / Convento de Cristo foi declarado Património Mundial em 1983. Na década seguinte, foi iniciada a recuperação do Centro Histórico.

  • Galeria de Fotos


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!


    • Disfrute na nossa companhia num dos locais mais belos do mundo! Venha fazer parte da história! Temos para si os sabores da nossa região!

  • Clients

    Jason Blunt
    CEO

    At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est lorem ipsum.

    Consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum tet clita kasd gubergren.

    Read More

    Jessy Williams
    Artist

    Consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat.

    At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum tet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadip accusam aliquyam diam diam dolore dolores.

    Read More
  • Contacte-nos!

    Mensagem enviada
    .
    Nome:
    Email:
    Telefone:
    Mensagem:

    Contactos

    Terreiro D. Gualdim 2300-322 Tomar
    Telefone: +351 914 549 258
    E-mail: nascimento@cafetariadocastelo.pt
  • Festa dos Tabuleiros

    Festa
    A festa dos tabuleiros é uma festa realizada de 4 em 4 anos no principio do mês de Julho. É uma das manifestações mais antigas de Portugal e a sua origem encontra-se nas festas de colheita à deusa Ceres. A sua cristianização pode dever-se à Rainha Santa Isabel, tendo por base a Congregação do Espírito Santo. No Domingo de Pentecostes, juntavam-se ricos e pobres sem distinção, dia em que as línguas de fogo desceram sobre os Apóstolos simbolizando a igualdade de todos perante Deus. Esta festa manteve as suas características até ao século XVII. As mudanças feitas a partir daí permitiram uma maior grandiosidade à Festa. A tradição continua e as suas cerimónias permanecem: o Cortejo das chegadas dos Bois de nome Cortejo do Mordomo, o Cortejo dos Tabuleiros, a sua bênção, a forma do tabuleiro, os vestidos das raparigas que transportam os Tabuleiros e a Pêza ou distribuição do pão e da carne. A principal característica desta Festa é o Desfile ou Procissão onde desfilam inúmeros tabuleiros que representam as dezasseis freguesias do concelho. Percorre as principais ruas da cidade, num percurso de 5 km. As ruas enfeitam-se de colchas pendentes nas janelas, onde se encontram milhares de visitantes e são lançadas pétalas, entusiasticamente, sobre o Cortejo. O Tabuleiro deve ter a altura da rapariga que o leva à cabeça, sendo constituído por trinta pães enfiados em cinco ou seis canas que partem de um cesto de vime ou verga e é rematado ao alto por uma coroa encimada pela Pomba do Espírito Santo ou pela Cruz de Cristo. Tabuleiros decorados com flores, pão e espigas de trigo desfilam pelas ruas de Tomar.

© 2014 Cafetaria do Castelo | Design by Orange Ideias Criativas | Fotografia :: Carlos Silva